pt-pt

Composto: 4 passos para poder faze-lo em sua casa.

composto_compost

Não são só o plástico, o papel ou o vidro que podem ter uma segunda vida — o seu lixo orgânico também pode renascer, ganhando uma nova forma. É esse o objetivo da compostagem, um sistema de decomposição e de reciclagem que transforma cascas de frutas, de legumes, folhas secas, raízes, cartão ou restos de café em composto, matéria orgânica rica em nutrientes, excelente para substituir os fertilizantes químicos que tanto ferem o ambiente, prejudicam os alimentos e a saúde.

 

Como é que age? O composto elimina os organismos patogénicos que prejudicam os solos, melhorando, em simultâneo, as suas qualidades — quer em termos de porosidade, quer em termos de fertilidade, atividade microbiana ou de retenção de água. É uma técnica muito sustentável, que preserva os ecossistemas e que garante a qualidade dos seus alimentos e plantas. É também uma forma de promover a economia circular: devolvemos à terra, a sua origem, os elementos químicos e nutrientes das plantas.

 

Com aspeto de terra, rico em fungicidas naturais e outros organismos, pode ser utilizado tanto numa planta de vaso, como na sua horta. E o melhor é que pode fazê-lo em sua casa! Mas como? O que é que pode e não pode ir para o composto? Respondemos a tudo.

 

4 passos para fazer composto em casa:

 

1. Comece por escolher o recipiente para o composto.

Em primeiro lugar, o composto deve ficar num espaço ao ar livre. Depois, deve ser criado num recipiente, como uma lata de lixo grande ou um balde de plástico que deverá ter a base perfurada e contar com uma bacia por baixo para que o chorume, um líquido que resulta da decomposição do lixo orgânico, tenha um sítio para onde escorrer.

 

2. Comece a recolher o lixo

Aqui tem de fazer um jogo de equilíbrio. Recolha o lixo orgânico e misture-o, mas garanta que tem duas vezes mais resíduos castanhos (folhas secas, cartão, folhas de jornal) do que os verdes (cascas de frutas, legumes, relva, borras de café). É que os primeiros são ricos em carbono e os segundos são ricos em nitrogénio. Além disso, demasiados resíduos verdes criam mais odores. Muito importante, os resíduos da cozinha nunca devem ser cozinhados ou ter algum tipo de gordura, apenas alimentos crus!

 

3. Distribua por camadas

Depois de reunido o lixo, pense na arte de fazer composto como um puzzle. No recipiente, crie camadas: comece com uma camada de nitrogénio (ou seja, resíduos verdes) para três de carbono (resíduos castanhos).

 

4. Veja acontecer

Nas semanas seguintes, verá o seu composto formar-se, ganhando um aspeto semelhante ao da terra (mas, lembre-se, ele não é terra!). Se for remexendo com mais frequência e mantiver bons níveis de humidade (pode adicionar água, caso seque muito), o composto poderá ficar pronto em dois a três meses. Caso contrário, ficará pronto no espaço de entre três a seis meses.

 

O que pode utilizar na compostagem:

Restos e cascas de frutas, legumes e verduras

Raízes

Folhas secas e restos de podas
Relva seca

Serragem de madeira

Papel de jornal

Cartão

Saquinhos de chá

Pó de café com filtro de papel

 

O que não pode utilizar na compostagem:

Produtos de origem animal
Vegetais doentes

Gorduras

Óleos

Resíduos de animais de estimação

Comida temperada

Cinzas e beatas de cigarro

Horta Corporativa

Com a compostagem integrada, a Horta Corporativa da Noocity permite a reutilização de resíduos promovendo uma economia circular sem desperdícios.

SAIBA MAIS SAIBA MAIS

Ficou interessado?

Receba as novidades do nosso blog e descubra todos os casos de sucesso